Vinho e madeira. Entenda a influência das barricas de carvalho.

download No universo dos vinhos é natural ler e ouvir falar sobre vinhos que possuem passagem ou são envelhecidos em barris de carvalho. Mas você sabe o que isso significa e quais as alterações que esse amadurecimento em carvalho pode provocar na bebida?

Os primeiros barris de madeira foram elaborados apenas como forma de substituição às ânforas de cerâmica, recipientes utilizados para comportar diferentes tipos de vinho na antiguidade. No entanto, hoje em dia são utilizados também com o intuito de agregar riqueza, valor e qualidade ao vinho.

Ao longo da história de produção dos vinhos, vários tipos de madeira foram utilizados na fabricação dos barris, mas o carvalho, por suas características, demonstrou ser a melhor opção. O carvalho possui maior impermeabilidade, maleabilidade, resistência e leveza, além é claro, de agregar maior complexidade aos vinhos.

O uso correto da madeira é tão importante para a qualidade final de um vinho quanto à qualidade das uvas. A forma como o barril de carvalho é fabricado difere de país para país, e de região para região, o que irá proporcionar aos vinhos aspectos diferenciados, conforme sua origem.

O contato gradual e lento com o oxigênio (micro-oxigenação), que penetra o barril através dos poros da madeira, possibilita com que o vinho respire, desenvolva-se e amadureça. A passagem do vinho por carvalho faz com que ele adquira sabores e aromas próprios da madeira, que podem ser acentuados ou não, dependendo do processo de tosta que cada barrica sofre. Além disso, o carvalho também possui a propriedade de suavizar os taninos de um vinho, garantindo uma característica mais redonda e aveludada à bebida.

toneis-de-vinhoDentre as mais de 250 espécies de carvalho, poucas são indicadas para a produção de barricas. Duas dessas espécies se sobressaem e são reconhecidamente as mais utilizadas: o carvalho francês e o carvalho americano. A utilização de carvalho francês é a mais apreciada e a também a mais cara, obtendo-se vinhos de maior complexidade e estrutura.

O carvalho francês confere ao vinho notas mais sutis e picantes (especiarias), já os barris americanos tendem a ser mais potentes no sabor, apresentando muitas vezes notas de baunilha e coco. Pode-se dizer que o carvalho americano é mais indicado para os vinhos novos e de consumo imediato, enquanto o carvalho francês é preferencialmente indicado para vinhos de guarda.

Faça um teste…

O VinhoSite escolheu duas incríveis indicações para que você perceba na prática as diferenças que esses dois tipos de carvalho conferem aos vinhos. Os rótulos selecionados são: o espanhol Ayrum Crianza, com envelhecimento em seis meses em barril de carvalho americano e o outro o Casanova Reserva Caberntet Sauvignon, com envelhecimento de 10 meses em barril de carvalho francês. Deguste!

                              

    Ayrum Crianza                                Casanova Reserva Cabernet Sauvignon

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *