Qual o melhor tipo de rolha para o vinho?

Rolhas01
Existem diversos tipos de rolhas no mercado

A rolha é utilizada desde o século XVII e é um elemento diretamente ligado à história do vinho. Ela é utilizada para vedar as garrafas, e além de proteger o vinho das contaminações e oxidações, faz parte da identidade de cada garrafa.

Antes eram produzidas apenas rolha com cortiça, mas atualmente encontramos diversos tipos de rolhas para vedar as garrafas de vinho: sintética, de rosca e até de mesmo de vidro.

Sobretudo para quem está começando a degustar vinhos diferentes, é comum ficarmos em dúvida diante desses inúmeros tipos existentes. Mas Afinal, qual a diferença entre elas, vantagens e desvantagens de cada uma? Para tentar esclarecer esses questionamentos, listamos abaixo as principais rolhas que você encontrará no mercado de vinhos. Confira!

Rolha de Cortiça:

A rolha de cortiça é produzida a partir da casca do sobreiro, espécie nativa da região mediterrânea. É a mais tradicional dentre as outras variações. Possui um grande poder isolante e excelente capacidade de conservação, sendo a mais indicada para os vinhos de guarda que precisam envelhecer e evoluir corretamente na garrafa.

Como desvantagem, os vinhos vedados com cortiça precisam de um armazenamento mais cuidadoso, para que ela não resseque e venha a estragar.

Outro defeito desse material é que ele está suscetível a contaminação do TCA (tricloroanisol), uma substância química liberada quando a rolha é atacada por um fungo, provocando aromas de mofo no vinho. São três principais tipos de rolhas fabricadas com cortiça: a maciça, a de aglomerado e a de espumante.

Rolha Sintética:

Este tipo de rolha surgiu como alternativa de menor custo que a tradicional. As rolhas sintéticas permitem que o vinho seja armazenado em pé e não possibilitam a proliferação de fungos. 

Normalmente são produzidas com material plástico ou silicone, ideais para vinhos mais jovens – até cinco anos. Como ponto negativo, podemos citar o lado estético, para os consumidores mais tradicionais, e o fato de sua durabilidade ainda não ser comprovada. 

Rolha de Rosca:

Conhecida como “screwcap”, a rolha de rosca é uma das mais polêmicas entre os consumidores de vinho. Ela é utilizada com mais freqüência no Chile e Austrália, onde quase 100% dos vinhos são vedados com esse material.

Essa rolha é produzida normalmente com metal, o que impede totalmente a entrada de oxigênio. São contra-indicadas para vinhos de guarda, que necessitam de oxigênio para finalizar o seu processo de amadurecimento. A rosca dispensa o uso de saca-rolhas, o que pode ser positivo para alguns, mas negativo para outras pessoas.

Rolha de Vidro:

A rolha de vidro é uma das mais recentes, foi criada em 2003, na Alemanha. Elas possuem um anel de silicone em volta, que permite a completa vedação, evitando a contaminação e oxidação do vinho.

Assim como as rolhas de rosca, elas não necessitam de saca-rolhas e não correm o risco de contaminação por fungos. Por ser uma novidade, ainda não é possível garantir sua total eficiência a médio e longo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *