Quem é Robert Parker: conheça o “Imperador do Vinho”

Robert Parker é o crítico de vinhos mais respeitado do mundo. A nota que ele dá a uma bebida — baseada no respeitado sistema de pontuação criado por ele mesmo — pode consagrá-la ou destruí-la.

Se você aprecia vinhos, Robert Parker é um nome essencial no seu vocabulário! Neste artigo, você vai conhecer melhor a trajetória do “Imperador do Vinho” e entender qual a sua importância para a bebida!

Quem é Robert Parker e como ele se tornou o maior crítico de vinhos do mundo

A trajetória de Robert Parker começou com uma história de amor. Em dezembro de 1967, aos 20 anos, ele tomou um voo dos Estados Unidos para a França para encontrar a namorada, uma norte-americana que fazia intercâmbio em uma universidade do país.

Robert Parker

Robert Parker é considerado o principal crítico de vinhos do mundo

Dessa viagem (a primeira que Robert realizava de avião), se desenrolaram dois dos fatos mais marcantes da vida do então jovem universitário: ele terminou por casar-se com a jovem, Pat Parker, que é sua esposa até hoje, e apaixonou-se pelo vinho.

A primeira experiência de Robert com a bebida havia sido em uma festa de aniversário, aos 18 anos, e foi seguida por outros momentos “horrendos” durante o início da faculdade, segundo ele mesmo conta.

Anos depois, ele foi capaz de perceber que aqueles haviam sido apenas vinhos ordinários.

Mas, na França, a namorada o levou a um café que mudou completamente o modo como ele percebia o vinho. Foi sua estreia com um vinho mais sofisticado, e o acompanhamento não poderia ser melhor: frutos do mar — que ele também nunca havia provado.

Ele relembra que jamais havia tido uma experiência tão positiva com uma bebida alcoólica, que não o deixou inchado como a cerveja ou descontrolado como o licor.

Seguiram-se seis semanas regadas a muitos vinhos e culinária francesa. Esses dias deixaram uma impressão permanente no paladar de Robert, que retornou aos Estados Unidos com um gosto renovado e a semente da ideia que se tornaria a publicação sobre vinhos mais celebrada do mundo.

The Wine Advocate

De volta a Maryland, seu estado natal, Robert tornou-se um assíduo consumidor de vinho. Ele devorou publicações sobre o assunto, como livros de Alexis Lichine, Frank Schoonmaker, André Simon e Hugh Johnson.

Mas algo o incomodava na maioria dos livros e revistas sobre vinho que encontrava: eram excelentes para traçar a história de vinícolas e regiões produtoras, mas o frustravam ao detalhar a qualidade e as características dos produtos. Em resumo, não eram orientadas ao consumidor.

The Wine Advocate

A The Wine Advocate é uma publicação feita por Robert Parker

Durante os primeiros anos da década de 70, ele passou as férias da escola de Direito conhecendo vinícolas europeias e ignorava os avisos de colegas e professores de que deveria gastar aquele tempo em trabalhos jurídicos.

“Um dos aspectos da minha vida que nunca mudou é que eu não duvidei sequer por um momento que a vida é feita para ser aproveitada e saboreada. O trabalho era obviamente muito importante, mas era preciso encontrar tempo para a diversão”, ele conta.

Essa diversão se profissionalizou oficialmente em 1978. Com um empréstimo de 2 mil dólares da mãe, ele lançou a primeira edição de sua newsletter independente de crítica de vinho, a The Wine Advocate (inicialmente chamada de Baltimore/Washington Advocate).

O primeiro volume foi gratuito, já que ele ainda era um nome desconhecido. Mas, logo no início, ele já foi capaz de encantar cerca de 600 pessoas, cuja assinatura foi o bastante para continuar publicando a newsletter a cada dois meses sem a necessidade de anunciantes.

O número de assinantes continuou crescendo, mas foi apenas em 1983 que Robert passou de pequeno ídolo de um punhado de enófilos para o estrelato.

A polêmica da safra de Bordeaux

A grande virada em sua carreira foi a newsletter de abril de 1983, em que ele exaltava a safra de Bordeaux de 1982.

A essa altura, a Europa já havia descoberto a riqueza dessa safra, mas os principais críticos de vinho norte-americanos da época, Robert Finigan e Terry Robards, desdenharam dela categoricamente.

Safra de Bordeaux

Robert Parker começou sua carreira salientando as safras de Bordeaux

O mercado norte-americano ainda era relativamente incipiente para os vinhos europeus, mas isso começava a mudar nessa época.

Nesse cenário, Robert Parker encontrou o nicho perfeito para suas críticas objetivas, mas detalhadas, que passaram a receber atenção mais detida após a polêmica do Bordeaux.

Em 1984, ele abandonou a carreira jurídica definitivamente e passou a se dedicar com exclusividade à crítica de vinhos. Nesse ponto, ele já acumulava mais de 10 mil assinantes (que hoje já chegam a 40 mil, espalhados por quase 40 países).

A newsletter continua em circulação, mas atualmente existe um site oficial que homenageia sua profissão: The Wine Advocate.

Até pouco tempo atrás ele experimentava cerca de 10 mil vinhos diferentes por ano, segundo afirmou em uma entrevista. Com o tempo, foi agregando novos avaliadores que foram orientados pelo próprio Parker, nos critérios de avaliação.

Como funciona seu famoso sistema de pontos

Robert Parker se aborrece quando os leitores focam apenas na pontuação que ele ou sua equipe atribuem às bebidas. O mais interessante, na perspectiva dele, é acompanhar as críticas em seus detalhes.

Mas seu sistema de pontos já tornou-se uma referência tão grande no mercado que pode ser difícil resistir à tentação de adquirir uma garrafa prontamente apenas porque ela recebeu uma excelente avaliação por parte de Parker.

Sistema de pontuação Robert Parker

O sistema de pontuação de Robert Parker classificam o vinho desde “terrível” a “extraordinário”

Ele separa os vinhos em seis grupos, que comportam notas de 50 a 100:

  • 96 a 100: vinho extraordinário;
  • 90 a 95: notável;
  • 80 a 89: acima da média a excelente;
  • 70 a 79: mediano;
  • 60 a 69: abaixo da média;
  • 50 a 59: terrível.

Todos os vinhos começam a ser pontuados com 50 pontos, e o score aumenta gradualmente com base em alguns fatores:

  • a cor e a aparência como um todo merecem mais cinco pontos;
  • o aroma ou buquê valem até 15 pontos;
  • o sabor e o retrogosto da bebida rendem 20 pontos;
  • por fim, a qualidade geral e potencial para envelhecer bem somam até outros 10 pontos.

Você pode conferir a lista completa dos vinhos que receberam a pontuação máxima de Robert Parker neste levantamento do site Wine Searcher.

Receber um perfeito 100 de Robert pode significar um aumento considerável do preço da garrafa. O Wine Searcher aponta um crescimento de quase 70% no preço de um Cabernet poucos meses depois do vinho ter recebido a maior nota do The Wine Advocate.

As críticas ao seu trabalho

O maior crítico de vinhos do mundo também é passível de críticas. O nome dele já virou até um verbo: produtores são acusados de “parkerizar” seus vinhos para torná-los mais compatíveis com o paladar de Parker.

Alguns amantes da bebida acusam-no de ser um verdadeiro ditador do gosto e ter influenciado produtos do mundo inteiro a terem sabor similar apenas para receber uma boa avaliação e vender mais.

Robert Parker

Robert Parker se tornou uma referência no cenário vinícola

Robert se defende e diz ter um paladar democrático — capaz de experimentar milhares de bebidas diferentes por ano, vindas de todos os continentes. Mas mesmo os críticos do trabalho dele concordam em um ponto: o efeito de Robert sobre o mercado do vinho — e há quem diga que até sobre a história da bebida — é incontornável.

Em 2016, ele anunciou que não vai mais avaliar novos vinhos Bordeaux e passará a tarefa para o colega de The Wine Advocate, Neal Martin. Ao mesmo tempo, vendeu a publicação e o site para um grupo de investidores japoneses.

Agora que você entendeu quem é Robert Parker, é hora de seguir um dos grandes conselhos do mestre da crítica de vinho e desenvolver a habilidade mais cara a qualquer enófilo: ampliar seus conhecimentos e seu paladar! Comece descobrindo mais sobre uma das regiões favoritas de Robert: a região vinícola de Bordeaux!

Confira abaixo alguns vinhos da vinícola espanhola Borsao, considerada a queridinha de Robert Parker:

Campo Castillo Garnacha 2015

Produtor: Bodegas BorsaoCampo Castillo
País: Espanha
Estilo: Tintos Macios
Harmonização: Cabrito,  Peixe empanado, massa ao sugo.
Preço: R$49,89
Onde comprar: VinhoSite 

Campo Castillo Rosado Garnacha 2015

Produtor:  Bodegas BorsaoCampo Castillo Rosado
País: Espanha
Estilo: Rosés Vigorosos
Harmonização: Ostras e Risotto de Carne.
Preço: R$49,89
Onde comprar: VinhoSite 

Monte Oton Garnacha 2015

Produtor:  Bodegas BorsaoMonte Oton Tinto
País: Espanha
Estilo: Tintos Intensos
Harmonização: Camarão, acarajé e estrogonofe.
Preço: R$64,99
Onde comprar: VinhoSite 

Campo Castillo Reserva 2012

Produtor:  Bodegas BorsaoCampo Castillo Reserva
País: Espanha
Estilo: Tintos Complexo
Harmonização: Costeletas de cordeiro.
Preço: R$118,34
Onde comprar: VinhoSite 

Campo Castillo Crianza 2013

Produtor:  Bodegas BorsaoCampo Castillo Crianza
País: Espanha
Estilo: Tintos Intenso
Harmonização: Cabrito, bacon cozido e churrasco.
Preço: R$72,50
Onde comprar: VinhoSite 

Campo Castillo Branco

Produtor:  Bodegas BorsaoCampo Castillo Branco
País: Espanha
Estilo: Brancos Gastronômicos
Harmonização: Ostras Cruas, Minas Frescal e Sushi.
Preço: R$49,89
Onde comprar: VinhoSite 

Gran Campellas Crianza

Produtor:  Bodegas BorsaoGran Campellas Crianza
País: Espanha
Estilo: Tintos Complexos
Harmonização: Pastel de Carne e Parmesão.
Preço: R$79,90
Onde comprar: VinhoSite 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *