Vinho Brunello di Montalcino: conheça um ícone do mundo do vinho

No que diz respeito a um vinho Brunello di Montalcino, sua característica de destaque é a longevidade. Um ícone mundial dos vinhos, ele foi o primeiro a receber a certificação mais nobre dos rótulos italianos, a DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita). Um certificado que garante o rigor na produção e na qualidade dos vinhos italianos.

Essa categorização foi criada para garantir a continuidade e qualidade da produção vinícola da Itália, em todas as regiões do país, onde se utilizam apenas um tipo de uva para criar vinhos específicos, como é o caso do Brunello, ou mais de uma uva, como é o caso de outros vinhos famosos.

Brunello di Montalcino
O Brunello di Montalcino é um clássico da Itália

O Brunello di Montalcino é produzido exclusivamente a partir de uvas Sangiovese Grosso, um clone da Sangiovese desenvolvido por pesquisas e experimentos do próprio criador dos Brunelli. Apesar de também ser cultivado em outras áreas da região central da Itália, esse clone da Sangiovese só encontra as condições para o desenvolvimento e maturação perfeitos em Montalcino.

O clima da comuna de Montalcino é mediterrâneo, com chuvas — 700 mm anuais — na primavera e no outono. Já os vinhedos concentram-se em colinas baixas — 500 metros de altitude — com solo argiloso e rico em calcário. Essas características naturais permitem a produção de vinhos com um toque de mineralidade, porém, estruturados.

Mesmo as uvas sendo cultivadas em Montalcino, as microrregiões podem produzir vinhos com características diferentes entre si, mas sempre elegantes e de qualidade ímpar.

A criação da Sangiovese Grosso, a uva Brunello

O criador e primeiro produtor do Brunello di Montalcino foi Clemente Santi, um farmacêutico apaixonado pela viticultura. Na primeira metade do século XIX, ele decidiu produzir um vinho de qualidade, bem diferente do Chianti, até então o principal vinho da região da Toscana.

Sangiovese
A uva Sangiovese é uma das castas mais usadas para produzir este vinho

A partir da Sangiovese, a principal cepa italiana, ele pesquisou e desenvolveu diferentes clones dessa uva. Seu trabalho resultou no clone Sangiovese Grosso, ou Brunello — significa “moreninho”, em português. O nome científico da Sangiovese Grosso é uma homenagem ao seu criador: BBS (Brunello Biondi Santi).

As diferenças mais acentuadas entre o clone Brunello e a Sangiovese normal são o formato dos cachos e das folhas, disposição dos bagos e casca mais grossa, com mais tanino e cor.

Estudiosos afirmam que este vinho é produzido há séculos na região da Toscana, na cidade de Montalcino. Porém, a obra-prima de Santi só recebeu a denominação “Brunello di Montalcino” em 1870. Apesar do tempo de produção, o vinho só ganhou prestígio como marca a partir do século 20.

Em 1966, o Brunello di Montalcino foi reconhecido como DOC (Denominazione di Origine Controllata). Mais tarde, em 1980, ele foi o primeiro vinho a obter a maior classificação dos vinhos italianos: a DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita).

Outra distinção recebida foi em 1999, quando a revista americana Wine Spectator elegeu os “Vinhos do Século”, em um artigo de James Suckling. Na lista de apenas 12 vinhos tintos, estava o Brunello di Montalcino Biondi Santi Riserva 1955.

Esse reconhecimento tardio deveu-se à praga Filoxera, que dizimou vinhedos europeus no final do século 19. Na ocorrência, o principal clone usado para o replantio foi a BBS.

Estima-se que hoje existam quase 200 produtores de Brunello di Montalcino. Juntos, eles engarrafam quase 6 milhões de litros ao ano. Entretanto, o nome Brunello não pode ser usada em vinhos produzidos em outras regiões, mesmo que sejam produzidos a partir da Sangiovese Grosso.

Um culto à longevidade

Sinônimo de sofisticação, com o passar dos anos, muitas técnicas de produção dos Brunello foram aprimoradas. Contudo, sua essência permanece: equilibrado, elegante e com um perfume limpo.

vinhedos de Brunello
Os vinhos Brunello di Montalcino têm potencial de guarda

O Brunello é um vinho encorpado, complexo e alcoólico na medida certa. Como a maioria dos vinhos de renome, a qualidade das safras pode variar, mas sua produção sempre mantém um alto padrão, controlado por lei, sendo preciso adequar-se à legislação DOCG, atendendo a normas muito rígidas.

Por isso, para produzir um Brunello di Montalcino à altura de seu renome, é preciso seguir algumas regras:

  • ser composto por 100% de uvas Brunello (Sangiovese Grosso);
  • as uvas cultivadas devem ter um rendimento máximo de oito toneladas por hectare;
  • amadurecer, pelo menos, 50 meses antes de chegar ao mercado. E desse período, ao menos dois anos em barris de carvalho e o restante em garrafa;
  • para os “Riserva”, o tempo mínimo de envelhecimento é 62 meses;
  • possuir um teor alcoólico mínimo de 12,5%.

O Brunello destaca-se por sua excelente capacidade de guarda. Segundo enólogos, a longevidade dos Brunello di Montalcino está associada às suas técnicas de produção, que conservam ao máximo o teor de polifenóis das uvas. Alguns dos melhores exemplares podem durar por até 30 anos ou mais, se bem guardados.

Brunello di Montalcino

País: ItáliaVinho Brunello
Produtor: Paggio Nardone
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Poderoso
Temperatura ideal: de 16 a 18 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Coelho e Ensopado de Funghi
Preço: R$ 355
Compre no Vinhosite

 

Após seu longo período de preparação, ele chega ao mercado com uma coloração mais escura. Os aromas tipicamente encontrados nos Brunello são: frutas secas e cristalizadas, defumados, baunilha, musgo, geleias de frutas, couro, pimenta preta, alcaçuz e o carvalho — madeira das barricas nas quais o vinho é amadurecido antes de ser engarrafado.

Para enólogos e apreciadores do mito italiano, o Brunello é um vinho para longo envelhecimento. As atuais safras parecem mais prontas para beber do que as antigas, mas o fator que realmente influencia na longevidade do vinho é a acidez, de acordo com esses conhecedores.

Nesse quesito, os polifenóis produzidos pela Sangiovese se polimerizam durante o envelhecimento em madeira, formando compostos estáveis. Assim, a longevidade dos Brunelli pode ser explicada por um pH relativamente baixo e elevada acidez total.

Como desfrutar de um vinho Brunello di Montalcino ao máximo

Para desfrutá-lo e aproveitar sua complexidade e aromas ao máximo, é indicado que este tipo de vinho seja decantado por, pelo menos, uma hora antes de ser servido.

O Brunello di Montalcino pode ser apreciado com queijos nobres

O vinho Brunello di Montalcino é mais bem apreciado entre 16 ºC e 18 ºC. Sua harmonização ideal é com carnes vermelhas — inclusive as de caça, como do javali — com molhos intensos, cogumelos e trufas. Também pode ser acompanhado por queijos marcantes, como o Pecorino, o Parmigiano Reggiano e o Grana Padano.

Agora que você já conheceu o renomado e elegante Brunello di Montalcino e estudou sobre sua história e produção até os dias de hoje, que tal experimentá-lo? Não deixe de nos seguir nas redes sociais para aprender e conhecer ainda mais sobre vinhos emblemáticos como este! Estamos no Facebook e Instagram!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *