Vinhos Espanhóis: conheça tudo sobre uvas, regiões e classificações

A Espanha, território com a maior área de vinhas plantadas em todo o mundo, possui claras e rigorosas normas para classificação dos Vinhos Espanhóis.

Desde a década de 1990, o país passou por importantes transformações na vitivinicultura, principalmente se modernizando e adequando ao mercado consumidor.

As primeiras regras já começaram a ser criadas em 1930 e foram revisadas em 1970. Uma delas é a Denominação de Origem (DO), que atesta a importância de determinadas regiões para a produção de vinhos – falaremos desse tema em outra oportunidade.

Os Vinhos Espanhóis estão entre os mais conhecidos no mundo e têm características específicas em relação a outros vinhos. A Espanha é o único país no mundo que só vende seus vinhos quando eles estão prontos para serem bebidos, ou seja, os envelhece em adega o tempo necessário para atingirem o ponto ideal de consumo.

Os períodos de envelhecimento estão regulamentados pela Lei da Vinha e do Vinho de 2003. As classificações por tempo de envelhecimento são: Jovem, Crianza, Reserva e Gran Reserva, que trataremos ao longo desse artigo.

Você já sabia o significado desses termos nos rótulos dos produtos? Continue lendo e aprenda antes de comprar!

Classificação dos Vinhos Espanhóis por tempo de safra:

Ao contrário do senso comum, nem todo vinho fica melhor com o passar do tempo. O que acontece é a bebida ficar diferente com o amadurecimento e, não necessariamente, melhor.

vinhos espanhóis

Conheça as classificações dos vinhos espanhóis

Alguns vinhos possuem a capacidade de melhorar suas características com o passar do tempo, dependendo da vontade de seu enófilo. Do outro lado, existem vinhos para serem consumidos em um período menor e, caso passem de um determinado período, podem vir a estragar.

Pensando nessa questão, a Espanha categorizou os vinhos de maior tempo de maturação e os de menor tempo.

A primeira forma de armazenamento é chamada de maturação oxidativa e permite a micro oxigenação por barricas de carvalho. A segunda, armazenada em garrafas, é chamada de redutiva e permite a evolução dos aromas.

Essa classificação é fiscalizada e punível, caso não atenda aos critérios propostos. Vamos entender melhor como funciona cada uma destas rotulagens?

Vinhos Espanhóis Jovens:

Os vinhos jovens também são conhecidos como “Vino Del Año” ou “vinho do ano”, em português. Estes rótulos possuem pouco tempo de maturação e são produzidos e comercializados, normalmente, no mesmo ano da colheita da safra.

Existem 4 principais classificações para os vinhos espanhóis

Podemos dizer que os vinhos jovens são frescos e frutados. O pouco tempo de armazenamento os deixa com características únicas no paladar, como a leveza de bebidas recentes. Não envelhecem em barricas de carvalho.

Mesmo sem ter a estruturação dos vinhos envelhecidos, os vinhos jovens atraem seus consumidores pela energia que carregam no sabor e o preço inferior a de outras categorias. Um dos motivos para o valor mais baixo é o tempo que leva para ser produzido, que é inferior às outras classificações.

É comum, também, encontrar vinhos jovens sem nenhuma classificação em seus rótulos quanto ao tempo de armazenamento, já que não existe uma regra específica para esse nível de classificação. Dessa forma, alguns vinhos jovens chegam ao mercado com o selo de tempo de safra em branco.

Esses Vinhos são mais fáceis de serem encontrados no mercado – por serem fáceis de serem produzidos – e é bem popular na Espanha. Os Vinhos Jovens são de fácil consumo e apreciados por várias classes, desde o simples apreciador até um crítico da área.

Vai fazer uma reunião com os amigos e não sabe qual vinho escolher? O vinho jovem pode ser uma boa opção para essas ocasiões.

Vinhos Espanhóis Crianza:

Não faça confusão: o termo “crianza” não está relacionado à jovialidade do vinho e não há nenhuma relação com a palavra criança. Ao contrário, a palavra designa à “criação” e está relacionada com o tempo de maturação desse vinho e sua disciplina nos processos de produção.

Segundo as leis da Espanha, para que um vinho tinto seja classificado como crianza é necessário que ele passe por pelo menos dois anos de envelhecimento, dos quais seis meses deverão ser em barris de carvalho (com exceção da Rioja, que exige um ano), e o restante do tempo em garrafas.

Crianza

Entenda como é feito o vinho Crianza

Para os vinhos brancos e rosés, é preciso seis meses de amadurecimento em barril de carvalho e mais um ano em garrafa. Geralmente os vinhos com a classificação crianza chegam ao mercado apenas no terceiro ano após o início de sua fabricação.

Os vinhos crianza são conhecidos por seu sabor vibrante e por serem de fácil consumo. Costumam receber especiarias, cereja e baunilha em sua fórmula, e são encontrados facilmente no mercado.

Se comparados com os vinhos jovens, podemos dizer que o crianza tem maior complexidade em sua produção e também no gosto do vinho. Além do tempo de armazenamento, o barril de carvalho oferece características únicas no gosto do vinho.

Exceções

Algumas áreas da Espanha possuem regras específicas para receber a classificação acima. Rioja e Ribera del Duero, como áreas tradicionais, exigem o mínimo de dois anos para o vinho crianza, nos quais um deles deverá ser em barril de carvalho.

Essas áreas são verdadeiros exemplos de tradição e conhecimento em vinhos espanhóis. Exemplo disso é a fabricação própria dos seus selos de certificação.

Vinhos Espanhóis Reserva:

Os vinhos tintos denominados como “reserva” precisam envelhecer por, no mínimo, três anos, sendo o primeiro deles em barris de carvalho e o restante em garrafas. Os brancos precisam passar por um período de guarda de um ano e meio, sendo seis meses em barris de carvalho.

Os vinhos “Reserva” são elaborados com safras de qualidade excepcional e, por isso, têm as melhores uvas na sua composição.  Seu valor é superior ao dos vinhos crianza e jovem, devido à complexidade na produção desse vinho e da matéria-prima superior.

O armazenamento em carvalho é uma das características deste vinho

Os Vinhos Espanhóis de Reserva podem ser macios e, ao mesmo tempo, intensos por sua influência de terra e folhas secas. Essas variedades estão em menor quantidade no mercado.

Diferente das classificações anteriores, os Vinhos Espanhóis Reserva têm um grande reconhecimento pelos críticos e exigem um nível de conhecimento superior em vitivinicultura para sua apreciação.

É preciso ficar atento quanto aos vinhos que usam a classificação Reserva, já que muitos vinhos utilizam o termo apenas como marketing.

Apenas na Espanha e em Portugal esse tipo de classificação é regulado por leis, embora os países tenham valores diferentes para atribuir essa categoria.

Vinhos no Brasil e na Argentina, por exemplo, costumam colocar em seus rótulos o termo “Reserva”, mas possuem critérios bem diferentes que os vinhos espanhóis.

Além de não ter nenhuma fiscalização, essas bebidas costumam indicar apenas que as uvas utilizadas têm maior qualidade.

Sabe aquele vinho que você deseja usar para uma comemoração especial? O  Vinho Espanhol Reserva é ideal para esses momentos!

Vinhos Espanhóis Gran Reserva:

Para que um vinho dessa região possa ser considerado “Gran Reserva” – a classificação mais rígida de todas -, sua elaboração precisa ter somente safras de excepcional qualidade, ou seja, aquelas que deixam as uvas com melhor qualidade e selecionadas para produzir os vinhos.

Os Gran Reserva tintos são submetidos a um envelhecimento de cinco anos, dos quais 18 meses são em barris de carvalho e o restante na própria garrafa que será comercializada. No caso dos vinhos brancos, o tempo de maturação é de quatro anos, sendo seis meses em carvalho.

gran reserva

O vinho Gran Reserva é o exemplo máximo de qualidade na Espanha

Conseguir essa certificação não é tarefa fácil, já que as exigências são maiores que os demais vinhos presentes no mercado. Poucos produtores conseguem ter vinhos com esse selo e essa certificação ajuda a mostrar a diferenciação do produtor frente a seus concorrentes.

Os Gran Reserva são ainda mais raros de serem encontrados que os Reserva. E quando são achados, existem mais vinhos tintos que os brancos nessa classificação.

Pelo nível de complexidade em sua produção, os Vinhos Espanhóis Gran Reserva têm uma qualidade superior a todos os níveis apresentados anteriormente e costumam agradar, principalmente, os consumidores mais habituados com vinhos estruturados.

Ao se deparar com um Gran Reserva, podemos ter a certeza de um produto cuidadosamente fiscalizado para garantir a qualidade em vários quesitos: desde o terreno utilizado para o cultivo da uva, até o armazenamento da bebida.

A Regulamentação na Europa

Algumas das classificações do tempo de armazenamento do vinho estão presentes em outros países, como o Reserva e o Gran Reserva, mas seguem padrões diferentes dos estabelecidos na Espanha. Então, como diferenciar vinhos europeus?

Mesmo compartilhando muitas semelhanças sobre a vitivinicultura, os países possuem normas diferentes em suas classificações. Um dos exemplos é na França, onde é comum avaliarem o terroir como principal fator para um bom vinho.

Classificações Rioja

Na Espanha, entretanto, a denominação de origem e o envelhecimento do vinho são de extrema importância para classificar a bebida. Essas categorias ajudam a entender as principais diferenças nos Vinhos Espanhóis.

Ainda não há uma regulamentação mundial que unifique as normas de classificação dos vinhos, devido às características específicas de cada país. Entretanto, a União Europeia se esforça para normatizar as características de cada país.

Até o ano de 2011, a União Europeia adotava dois selos de classificação: VQPRD (Vinho de Qualidade Produzido em uma Região Específica) e Vinhos de Mesa. Atualmente, essa classificação mudou e se transformou em DOP (Denominação de Origem Protegida) e IGP (Indicação Geográfica Protegida).

Com essa mudança, os selos podem ser usados para vários produtos fabricados na região.

Principais uvas da Espanha

A Espanha é uma região que cultiva desde castas internacionais, como Cabernet Sauvignon e Malbec, às castas nacionais, como a Tempranillo e a Moscatel. Quer saber mais sobre os vinhos produzidos com essas uvas? Veja as principais uvas tintas e brancas da região:

Tintas:

Cariñena

Cariñena, como é conhecida na Espanha – ou Carignan – é uma uva tinta que produz ótimos vinhos na região do Mediterrâneo, no nordeste da Espanha.

A uva Cariñena também é conhecida na Espanha como Carignan

Essa uva tem bom desempenho em climas quentes e secos, deixando seus taninos mais intensos, ácidos e coloridos. Raramente essa uva é usada para fabricar vinhos varietais, sendo muito comum em blends com outras uvas, como Grenache e Syrah.

Tempranillo

Mais de 95% de uva Tempranillo plantada no mundo vem da Espanha, mostrando a predominância do país com essa uva. A Tempranillo é considerada a maior variedade espanhola, com ótimos vinhos produzidos.

Tempranillo

A Tempranillo é uma casta clássica da Espanha

Alguns especialistas acreditam que essa casta surgiu na região da Rioja e Navarra. A Tempranillo é uma uva pequena, com pele mais grossa e taninos moderados. Seus vinhos geralmente têm notas de morango, groselha, ameixas, chocolate e tabaco.

Garnacha

Garnacha – como é conhecida a Grenache, na Espanha – é a segunda variedade mais plantada no país, principalmente ao norte e oeste. Suas videiras são fortes e estruturadas, resistentes à seca e ao vento forte.

Grenache

A Garnacha também é chamada de Grenache

Essa uva pode apresentar algumas variações de aroma, lembrando frutas vermelhas, damasco, pimenta do reino, café, entre outras.

Graciano

Graciano é outra uva tinta de renome no território espanhol, sendo cultivada principalmente nas regiões de Rioja e Navarra. O aroma dessa uva é forte, sendo muito apreciada na produção blends com Tempranillo e Cabernet Sauvignon.

Brancas:

Moscatel

Moscatel
A Moscatel é responsável por um dos vinhos espanhóis mais famosos

A Moscatel – conhecida também como Muscat e Moscato em outros países – é uma uva doce, muito utilizada para fazer vinhos licorosos. Na Espanha, boa parte dos bons vinhos doces feitos com a Moscatel vem da região de Andaluzia.

Pedro Ximenez

A uva branca Pedro Ximenez é associada ao vinho Xerez, na Espanha, uma bebida fortificada. Por ter pouca acidez, essa uva não é tão adequada para produção de vinhos de mesa, mas certamente produz bons vinhos fortificados.

Pedro Ximenez
Uva Pedro Ximenez, em vinha

Essa uva é cultivada em toda Andaluzia e também em outras regiões da Espanha, como Valência e Ilhas Canárias.

Xarel-lo

Xarel lo
Campo de uvas Xarel Lo

A uva branca Xarel-lo é uma das mais indicadas na produção de espumantes Charmat, misturando com outras variedades. Essa uva é originada da Catalunha, na Espanha, onde é autóctone.

Verdejo

uva Verdejo
A uva Verdejo é uma das castas mais tradicionais da Espanha

Verdejo é uma uva branca aromática que produz muitos vinhos na Rueda, região central da Espanha. Seus vinhos são produzidos, em grande parte, varietal ou misturado com as uvas Viuras e Sauvignon Blanc.

As melhores regiões de vinhos espanhóis

A Espanha guarda sabores únicos em relação ao vinho, com excelentes regiões reconhecidas. Castilla La Mancha e Rioja, por exemplo, são sinônimos de excelência para a vitivinicultura espanhola.

Castilla La Mancha

A região de Castilla La Mancha é uma das maiores regiões vinícolas da Espanha. Com clima seca e quente, a região é destaque no cultivo de uvas e a produção de vinhos. Essas influências vêm diretamente do continente europeu, com verão extremamente quentes e invernos muito frios.

Castilla La Mancha
Castilla La Mancha tem, atualmente, 9 DO’s

As uvas sobrevivem ao clima e solo da região, sendo a Airen a principal casta de Castilla La Mancha. A região tem nove DO’s (Denominação de Origem), que atestam a qualidade nesses vinhos. Conheça mais sobre essa região aqui.

Espanha Verde

A região da Espanha Verde é uma das partes mais diferentes do País, no que diz respeito à produção de vinhos. O DO Rias Baixas e Ribeiros, por exemplo, é capaz de produzir grandes vinhos brancos. Já na região de Ribeira Sacra, existem diferentes vinhos brancos e tintos de qualidade.

Espanha Verde

Os vinhos brancos são uma marca da Espanha Verde

Nessa região, há grande cultivo da uva Albariño, para produção de vinhos brancos, e da uva Mencia, para produção de vinhos tintos.

Rioja

Enquanto a região da Espanha Verde é conhecida pelos vinhos brancos, Rioja é destaque pelos seus tintos deslumbrantes. É impossível falar de vinhos espanhóis sem falar da Rioja.

Rioja

A Rioja produz ótimos vinhos espanhóis

Grande parte dos rótulos produzidos tem as castas Tempranillo e Garnacha, destaques da região. Também são produzidos outros vinhos, em menor escala, com as uvas Graciano, Cabernet Sauvignon e Mazuelo.

A Rioja mostra seu reconhecimento principalmente por ser a primeira região a receber o status de DO, em 1933. A região também foi a primeira a se tornar um DOC em nível superior. Saiba mais sobre a importância da Rioja nesse post.

Catalunha

A região de Catalunha está localizada no nordeste da Espanha, na fronteira com o Mediterrâneo. Existe uma grande variedade nos vinhos produzidos nessa região e a influência dos franceses nos vinhos mais reconhecidos, como o cava de champanhe e o vinho de mesa tinto.

Catalunha

O clima de Catalunha favorece o cultivo de uvas

O clima da Catalunha é mediterrâneo, com áreas quentes devido à costa marítima e chuvas moderadas. Em geral, os vinhos tintos dessa região são produzidos com  Tempranillo, Garnacha e Monastrell.

Embora a região produza vinhos tintos de qualidade inigualável, o destaque fica para o espumante Charmat, feito com cava.

O começo dessa produção teve início por volta da década 1870 quando José Raventós, fundador do grupo Codorníu, começou a produção da bebida. O prestígio do espumante deu origem a um DO, em 1986. Entenda sobre como o espumante charmat é produzido em nosso artigo.

Andaluzia

Andaluzia é muito conhecida pelos seus vinhos fortificados e licorosos, o “xerez” ou “jerez”, como são chamados. A região é estrategicamente localizada próxima ao continente africano e, também, do Mediterrâneo.

Andaluzia

Andaluzia é conhecida pelos seus vinhos licorosos

Ao todo, são 40 mil hectares de vinhedos em Andaluzia, na qual quase a metade desse valor é produzido nos quatro DO’s existentes na região.

As principais uvas de Andaluzia são: Pedro Ximenez, Moscatal e Airen. Algumas castas internacionais também produzem bons vinhos nessa região, como a Merlot e a Cabernet Sauvignon.

Deguste e conheça melhor dos Vinhos Espanhóis:

O tempo em que um vinho fica guardado não é sinônimo de qualidade, mas interfere muito no sabor da bebida. Através da categorização feita nos Vinhos Espanhóis, é possível entender os vinhos do país e diferenciá-los de outros vinhos europeus.

Enquanto o vinho jovem não exige tempo de armazenamento, o Gran Reserva demora cinco anos, no mínimo, para ficar pronto. Esses valores variam entre tintos, brancos e rosés, além do próprio local onde está sendo produzido o vinho.

degustar vinhos espanhóis

Saiba como harmonizar com vinhos espanhóis

Mas não vá achando que só o tempo de armazenamento é suficiente para conhecer esses vinhos. Como cada paladar é único, nada melhor que degustá-los, não é mesmo?

Aqui no VinhoSite podem ser encontrados vinhos espanhóis com diferentes classificações e faixas de preço. Evidentemente, os rótulos com maior tempo de guarda trazem um custo um pouco maior ao consumidor.

Contudo é possível encontrar qualidade em todos eles, independente da categoria em que o vinho esteja enquadrado.

Agora que você já adquiriu conhecimento para diferenciá-los, veja abaixo a seleção desses vinhos que separamos para você:

Jovens

Don Leon Garnacha Tempranillo

País: Espanha
Produtor: Don Leon
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Blend de Tempranillo e Garnacha
Sugestão de Harmonização: Risoto com Linguiça
Preço: R$ 27,50
Compre no Vinhosite

Montefrio La Mancha do Tempranillo

País: Espanha
Produtor: Felix Solis
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Massas à carbona
Preço: R$ 29,90
Compre no Vinhosite

Conde de Monterroso Joven Tempranillo

País: Espanha
ProdutorBodegas Isidro Milagro
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Macio
Temperatura ideal: de 12 a 14 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Steak Tartar
Preço: R$ 37,80
Compre no Vinhosite

Los Molinos Tempranillo

País: Espanha
Produtor: Felix Solis
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Pizza Calabresa
Preço: R$ 33,25
Compre no Vinhosite

Orquestra Tempranillo
vinho-tinto-seco-espanhol-tempranillo-orquestra

País: Espanha
Produtor: Felix Solis
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Carpaccio
Preço: R$ 39,90
Compre no Vinhosite

Castillo de Benizar Tempranillo
tempranillo-vinho-espanhol-castillo-de-benizar-tinto

País: Espanha
Produtor: Bodegas Ayuso
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Capeletes
Preço: R$ 47,90
Compre no Vinhosite

San Juan Branco
vinho-branco-seco-espanhol-san-juan

País: Espanha
Produtor: Felix Solis
Tipo: Branco
Estilo: Branco Frutado
Temperatura ideal: de 10 a 12 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Ceviche
Preço: R$ 39,90
Compre no Vinhosite

Campo Castillo Rosado Garnachavinho-garnacha-espanhol-campo-castillo-rose

País: Espanha
Produtor: Bodegas Borsao
Tipo: Rosé
Estilo: Rosé Vigoroso
Temperatura ideal: de 10 a 12 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização:Massas ao Pesto
Preço: R$ 39,90
Compre no Vinhosite

Crianza

Conde de Monterroso Crianza Tempranillo

País: Espanha
ProdutorBodegas Isidro Milagro
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Macio
Temperatura ideal: de 12 a 14 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Iscas de Filé
Preço: R$ 47,50
Compre no Vinhosite

Campo Castillo Crianza
vinho-crianza-espanhol-tinto-campo-castillo

País: Espanha
Produtor: Bodegas Borsao
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Intenso
Temperatura ideal: de 16 a 18 °C
Variedades: Blend de Cabernet Sauvignon, Tempranillo e Garnacha.
Sugestão de Harmonização: Lasanha de Carne Moída
Preço: R$ 72,50
Compre no Vinhosite

Dairo Crianza
vinhos-espanhois-tinto-dairo-crianza-garnacha

País: Espanha
Produtor: Cellers Unió
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Complexo
Temperatura ideal: de 16 a 18 °C
Variedades: Blend de Syrah, Mazuelo e Garnacha.
Sugestão de Harmonização: Filé Mignon
Preço: R$88,04
Compre no Vinhosite

Reserva

Conde de Monterroso Reserva Tempranillo

vinho-espanhol-reserva-tempranillo-conde-de-monterroso

País: Espanha
ProdutorBodegas Isidro Milagro
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Intenso
Temperatura ideal: de 14 a 16 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Frango Assado
Preço: R$ 55,90
Compre no Vinhosite

Campo Castillo Reserva

País: Espanha
Produtor: Bodegas Borsao
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Complexo
Temperatura ideal: de 16 a 18 °C
Variedades: Blend de Cabernet Sauvignon, Tempranillo e Garnacha.
Sugestão de Harmonização: Risoto ou Massas com Ganso
Preço: R$ 118,34
Compre no Vinhosite

Bodegas Ramirez Rioja Reserva Tempranillo

País: Espanha
Produtor:Bodegas Ramirez de La Piscina
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Poderoso
Temperatura ideal: de 16 a 18 °C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Talharim com Pato
Preço: R$ 179,85
Compre no Vinhosite

Gran Reserva

Casa Albali Gran Reserva

País: Espanha
Produtor: Felix Solis
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Complexo
Temperatura ideal: de 18 a 20°C
Variedades: Varietal
Sugestão de Harmonização: Talharim com Pato
Preço: R$ 142,80
Compre no Vinhosite

 

 

One thought on “Vinhos Espanhóis: conheça tudo sobre uvas, regiões e classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *