Vinhos portugueses: conheça a história, suas uvas e regiões

Nesse post você irá conhecer sobre a história, regiões e uvas dos vinhos portugueses.

Conhecido ao longo da história por ser o país vinícola mais conservador da Europa e famoso pelo seu grande e doce vinho fortificado (o tradicional Vinho do Porto), Portugal é um local onde passado e presente estão diretamente interligados.

Com mais de 250 espécies de uvas nativas, os portugueses sempre foram grandes consumidores de seus próprios vinhos, e não conhecendo outros estavam acostumados aos tipos de vinhos feitos, como sempre foram, frequentemente com uma característica de maior acidez no norte e singularmente rústica no sul.

Portugal possui mais de 250 espécies de uvas nativas

No entanto, os vinhos produzidos no país vêm passando por grandes mudanças graças aos produtores mais jovens que estão se empenhando para oferecer sabores de uvas integrais e originais, em vinhos robustos e extremamente estruturados.

Com ideias modernas, essas novas bebidas são reconhecidas pela crítica especializada e são capazes de disputar espaço com os Vinhos do Velho e do Novo Mundo.

Desde o final da década de 1990, os produtores individuais são considerados estrelas em ascensão.  As Quintas, propriedades individuais que cultivam suas próprias uvas e fazem os seus próprios vinhos, destacam-se na produção e comercialização internacional de vinhos, invertendo o predomínio de grandes empresas comerciais sobre os pequenos produtores.

A história do vinho em Portugal

Portugal foi o primeiro país nos tempos modernos (e também nos tempos antigos, quando pensamos no vinho do Porto) a inventar um novo estilo de vinho para exportação, e a conseguir isso de forma tão espetacular que se tornou uma das marcas mais vendidas do planeta. Esse vinho foi o Mateus Rosé.

Considerado o décimo maior produtor de vinhos do mundo, Portugal foi o primeiro país a estabelecer o equivalente a um sistema nacional de denominação de origem controlada, sistema que qualifica os vinhos com origem geográfica, composição de uvas e métodos de produção.

O país, desde cedo, percebeu a necessidade de determinar limites, variedades de uvas, técnicas e normas para os que eram considerados os seus melhores vinhos. Em 1756, houve a delimitação da área do Douro. E após 1908, surgiram várias outras demarcações, iniciando com o Vinho Verde.

A Casa de Vila Verde é uma das mais antigas casas da região dos Vinhos Verdes.

Como são classificados os vinhos portugueses

Desde a entrada de Portugal na União Europeia, na década de 1980, o sistema de denominações, coincidente, passou por mudanças, seguindo critérios idênticos aos da França.

DOC ou DOP

Os vinhos produzidos sob as regras mais rigorosas de Portugal são identificados com as siglas DOC (Denominação de Origem Controlada) e DOP (Denominação de Origem Protegida). O país possui atualmente 31 DOC/DOP.

Para estes vinhos existem normas que determinam a quantidade máxima de colheitas de castas, as uvas recomendadas e autorizadas e várias outras regras. Além disso, todos os vinhos têm de ser submetidos a provas, testes e aprovação oficiais.

Vinho Regional

O território português está dividido em 14 áreas de “Vinho Regional”, que atualmente, recebem novas designações estabelecidas pela União Europeia.

Os vinhos destas regiões podem ser denominados IG, que quer dizer “Indicação Geográfica”, e IGP, que significa “Indicação Geográfica Protegida” ou simplesmente “Vinho Regional”.

As normas para produção de vinhos regionais são menos rigorosas do que as dos vinhos DOC, porém muitos vinhos portugueses de prestígio são classificados nessa categoria.

Vinho de Mesa

Considerados os mais simples de Portugal, os Vinhos de Mesa não estando sujeitos a nenhuma das normas estipuladas para a qualidade dos vinhos regionais.

Conheça as principais regiões vinícolas de Portugal

Douro, a terra do Vinho do Porto

O Vale do Douro é considerado o lar do Vinho do Porto, onde surgiu esta que é a bebida mais tradicional de Portugal.  A origem do Vinho do Porto pode estar diretamente ligada à baixa qualidade dos vinhos de mesa que eram produzidos nessa região. Isso obrigou os comerciantes a misturá-lo com conhaque e criar o vinho do Porto.

O Vale do Douro é responsável pelo surgimento de uma das bebidas mais tradicionais de Portugal, o Vinho do Porto.

Há também a teoria de que a bebida recebeu a adição de conhaque para dar estabilidade para o transporte durante o século XVII. Nesta época, houve uma proibição e os vinhos franceses não podiam ser importados para a Inglaterra.

Com isso, os ingleses tiveram que buscar alternativas para a compra de bons vinhos, sendo Portugal o país escolhido em função do bom relacionamento que sempre manteve com a Inglaterra.

Durante a fermentação do Vinho do Porto, é adicionada aguardente vínica, processo que resulta em um vinho doce e de graduação alcoólica que chega aos 20%. Depois desta etapa, o vinho é mesclado com outros em barris de carvalho.

A classificação deste vinho pode variar conforme o tempo de guarda. Ficando por dois ou três anos em barris, o Vinho do Porto é chamado de Ruby, enquanto outros que ficam por um período maior nesse processo, são vendidos como Tawny.

Existem também os Vinhos do Porto Vintage, que são elaborados com uvas de uma mesma safra, envelhecidos por até três anos em madeira e depois engarrafados.

Atualmente, o Porto é um dos vinhos mais rigorosamente controlados do mundo. Uma série de autoridades legais regula e fiscaliza todas as fases de sua elaboração.

Madeira

Os vinhos produzidos na Ilha Madeira são conhecidos por seu poder de guarda. Eles ficam cada vez melhores conforme o tempo de envelhecimento. Esta região é capaz de produzir os vinhos mais duradouros do mundo.

A Ilha da Madeira é capaz de produzir os vinhos mais duradouros do mundo

Os bons Vinhos Madeira são concentrados, possuem uma característica marcante que equilibra bem com seu frescor, garantindo a harmonia entre a doçura e a acidez.

Um fato interessante, que confirma a durabilidade do Vinho Madeira, é o fato de que ocasionalmente ainda são encontradas safras produzidas antes de 1900.

Dão

Dão possui cerca de 20 mil hectares de vinhedos plantados. No passado, os vinhos tintos desta região eram considerados secos, duros e com pouca predominância de características suaves. No entanto, seus vinhos têm melhorado consistentemente com a substituição de antigas castas pela Touriga Nacional.

Quinta do Sobral, situada na terra mais famosa do Vinho do Dão

Bairrada

Bairrada está se destacando devido à qualidade de seus vinhos. Nesta região duas uvas locais não encontradas em outros lugares têm qualidades fantásticas.  A Baga tinta é uma variedade de amadurecimento retardado, de tanino alto e ácida.

Como variedade dominante, ela precisa de envelhecimento de longo prazo na garrafa. A outra uva de destaque é branca. A Bical apresenta bom equilíbrio entre a acidez e extrato, com notas de damascos.

Vinho Verde e Minho

Esta região pode ser considerada a mais original e bem-sucedida contribuição de Portugal para a adega de vinhos do mundo. Nesta região, os brancos possuem cor de água com limão.

Vinho Verde e Minho

Tradicionalmente, as videiras crescem em guirlandas de árvore em árvore ou são dispostas sobre pérgolas de granito e vergas de castanheira. Esse cultivo bem acima do solo tem várias vantagens, por retardar o amadurecimento e por produzido o equilíbrio desejado entre doçura e acidez.

Conheça mais sobre o Vinho Verde.

Lisboa

Composta por nove denominações de origem, Lisboa é uma das regiões vinícolas históricas de Portugal. Esta área concentra cerca de 55 mil cultivadores de uvas com propriedades com tamanhos médios  de um hectare e pode ser considerada a mais produtiva do país.

Lisboa, uma das regiões vinícolas históricas de Portugal

Nesta área, as vinhas cultivadas junto à linha marítima sofrem uma forte influência do Oceano Atlântico, enquanto as vinhas implantadas no interior ficam protegidas da influência marítima. Os vinhos das zonas costeiras de Lisboa apresentam graduações alcoólicas muito baixas, com uma leveza comparável aos vinhos do Minho.

Alentejo

No início da década de 1990, Alentejo passou a se dedicar a melhoria dos vinhos. Além disso, as colinas marrons cobertas de sobreiros escuros fornecem ao mundo rolhas de cortiça da melhor qualidade.

Vinhas cultivadas na região do Alentejo

Esta região é caracterizada pela grande exposição ao sol e pelo pouco volume de chuva. O clima possui características mediterrâneas, com temperaturas mais elevadas mesmo no inverno.

Península de Setúbal

A Península de Setúbal têm conquistado um grande prestígio e importância desde as últimas décadas do século 20.

A cultura da vinha e do vinho destaca-se nesta região que possui clima mediterrânico, com verões quentes e secos, invernos amenos mas chuvosos, e umidade elevada. Estima-se que a cultura da vinha tenha sido introduzida no vale do rio Sado há cerca de 2000 a. C.

Península de Setúbal

De forma geral, os vinhos da Península de Setúbal são jovens, frutados, com boa acidez e que sofrem influência dos climas marítimo e continental. Por muito tempo, os vinhos desta região possuíam um corpo médio, elaborados predominantemente com a uva Castelão.

Esta região produz historicamente vinhos prestigiados e reconhecidos internacionalmente. Em 1381, já se exportava grande quantidade deste vinho para Inglaterra. O vinho mais tradicional da região é o Moscatel de Setúbal, um dos vinhos mais considerados de Portugal.

As uvas mais famosas de Portugal

Touriga Nacional

Esta uva se destaca na elaboração de vinhos em Portugal e não há dúvidas de que ela pode produzir bebidas com sabores bem interessantes, com aroma de framboesa, violetas e perfume de couro novo.

Quando jovem possui um profundo e intenso aroma que recorda a Cabernet Sauvignon. A Touriga Nacional é a estrela dos grandes vinhos do Vale do Douro.

Touriga Franca

Considerada uma casta com sabor muito intenso, trata-se de uma das cinco variedades oficialmente recomendadas pelas autoridades da região do Vinho do Porto. Possui boa coloração e taninos. Tem aroma de amoras e rosas.

 

Trincadeira

Esta uva portuguesa também é chamada por muitos outros nomes: Rabo de Ovelha Tinto, Tinta Amarela, Espadeiro, Crato Preto, Mortágua e Murteira.

É encontrada em todo o país de Portugal, especialmente na região do Alentejo. Seus vinhos possuem cor intensa, com bons taninos, um atrativo caráter frutado de marmelada e um toque herbáceo quando são jovens.

Castelão

É a casta tinta mais cultivada no sul de Portugal, dando origem a vinhos firmes e delicados, com aromas de framboesa,toques de cedro e caixa de tabaco, estando muito bem adaptadas em Portugal na região de Palmela ao sul de Lisboa, na Península de Setúbal e no Alentejo, com seus climas quentes e secos e solos arenosos.

Esta casta cuidadosamente manuseada  produz vinhos muito bem estruturados , taninos e acidez equilibrados, frutados (frutas vermelhas), e muita leveza.

Baga

Bairrada pode ser considerada a região da uva de Baga. A casta é pequena e de pele grossa, o que torna os níveis de tanino no suco mais elevados.

Em anos secos, quando as uvas amadurecem bem, os vinhos Baga têm cor profunda e uma estrutura rica, com boa presença de taninos e acidez elevada.

Fernão Pires

De acordo com a Wines Of Portugal, a Fernão Pires (também conhecida como Maria Gomes) é a casta branca mais cultiva e amplamente plantada por todo o país, de forma particular ao longo da Península de Setúbal, Tejo, Lisboa e Bairrada.

Ela proporciona vinhos brancos leves, frutados e perfumados. Os sabores de citrinos e os aromas florais são mais frescos quando é colhida cedo para um consumo rápido. Também é utilizada em espumantes e pode, ocasionalmente, ser colhida em colheita tardia para produzir vinhos doces.

Alvarinho

A casta Alvarinho é capaz de produzir vinhos brancos com muita personalidade, com notas aromáticas de pêssego e, em algumas vezes com frutos tropicais e flores.

Ela é bastante cultivada no norte da Região do Vinho Verde. Seus vinhos são mais intensos e com maior teor alcoólico. Possuem potencial para serem envelhecidos.

Encruzado

Esta casta pode ser encontrada com maior facilidade na região do Dão e no centro-norte do país.

Na vinha, mesmo em temperaturas mais elevadas, as uvas Encruzado mantêm a sua acidez fresca e amadurecem de forma perfeita sem se tornarem demasiado doces.

A casta Encruzado produz vinhos brancos intensos, elegantes e bem equilibrados, com delicados aromas florais e citrinos e, por vezes, um caráter mineral muito atraente.

Deliciosa no seu estado puro, sem estágio na madeira de carvalho, a Encruzado também responde bem à fermentação em barris de carvalho ou envelhecimento em carvalho, resultando em vinhos bem estruturados, sérios e delicados que podem envelhecer e ganhar maturidade ao longo de muitos anos.

Arinto

Com maturação tardia, a uva Arinto resulta em vinhos elegantes com predominância de aromas de maçã e limão, que são saborosos quando novos e frescos.

Esta casta suporta temperatura mais elevadas e, por isso, se espalhou em muitas áreas de Portugal, como o Alentejo.

Na região dos Vinhos Verdes ela é conhecida como Pedernã. A sua acidez natural elevada é também uma vantagem para a produção de espumantes.

Agora que você já conheceu as principais características, uvas e regiões de Portugal é hora de degustar um bom vinho. O VinhoSite selecionou algumas opções de rótulos produzidos no país. Confira!

Portal da Vinha RED

País: Portugal
ProdutorCompanhia das Quintas
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 14 a 16℃
Variedades: varietal
Sugestão de Harmonização: Queijo Minas Curado e Pizza de Franco com Catupiry.
Preço: R$ 29,98
Compre no Vinhosite

Terras de Alleu Tinto

País: Portugal

Produtor: Adega Vila Real
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Macio
Temperatura ideal: de 14 a 16℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Cozidos com vegetais, Caças, Língua, Massas ao molho de tomate ao sugo e Ricota, Bife de fígado, Bacalhoada com tomate, pimentão, batatas e cebola, Massa ao sugo, Picanha e Lombo de Porco Assado.
Preço: R$ 34,90
Compre no Vinhosite

Este Vinho Verde 2016

País: Portugal

Produtor: Viniverde
Tipo: Branco
Estilo: Branco Frutado
Temperatura ideal: de 6 a 8℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Cavalinha, Pescada frita, Sardinha, Sardinhas grelhadas com gotas de limão, Salada de Legumes, Bruschetas, Crostines e Canapés, Bruschetas, Crostines e Canapés, Bacalhau em Postas com Azeite, Pão ou Torrada com Pastas, Moqueca Capixaba, Pizza Vegetariana ou Margherita, Massas com Frutos do Mar.
Preço: R$ 47,50
Compre no Vinhosite

Dão Jardim da Estrela

País: Portugal

Produtor: Magnus Wine
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Macio
Temperatura ideal: de 14 a 16℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Empadão, Fígado, Hambúrguer, Homus, Miúdos, Carpaccio, Camarões ao vapor.
Preço: R$ 59,98
Compre no Vinhosite

Adega Vila Real Colheita Tinto

País: Portugal

Produtor: Adega Vila Real
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Intenso
Temperatura ideal: de 16 a 18℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Paleta assada, Queijo Prato, Rins, Rosbife, Talharim com Funghi, Talharim ou Espaguete com Carne, Porco e Peru Assado.
Preço: R$ 65,80
Compre no Vinhosite

Adega de Vila Real Colheita Branco

País: Portugal

Produtor: Adega Vila Real
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Leve
Temperatura ideal: de 8 a 10℃
Variedades: Blend

Preço: R$ 65,80
Compre no Vinhosite

Espumante Borlido Brut

País: Portugal

Produtor: Companhia das Quintas
Tipo: Espumante
Estilo: Espumante Complexo
Temperatura ideal: de 6 a 8℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Caças, Peru Assado, Salada de Bacalhau, Bacalhau à Gomes de Sá, Peito de Frango Grelhado, Peixes Grelados e aperitivos diversos.
Preço: R$ 69,80
Compre no Vinhosite

Pinha Rosé 2015

País: Portugal

Produtor: Magnus Wine
Tipo: Rosé
Estilo: Rospé Light
Temperatura ideal: de 8 a 10℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Pimentão Recheado, Queijo Fresco, Ratatouille, Salmonete, Sopas com peixes e frutos do mar, Massas com berinjela e abobrinha, Torta salgada de cebola e enchovas e mariscos.
Preço: R$ 69,91
Compre no Vinhosite

Vinha do Reino

País: Portugal

Produtor: Magnus Wine
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Macio
Temperatura ideal: de 14 a 16℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Grelhados com legumes, Empadão, Rins, Tripas à moda do Porto, Fígado, Cabrito Assado temperado no vinho e Pernil de Cordeiro com bastante alho.
Preço: R$ 69,91
Compre no Vinhosite

Adega de Vila Real Reserva Tinto

País: Portugal

Produtor: Adega Vila Real
Tipo: Tinto
Estilo: Tinto Complexo
Temperatura ideal: de 13 a 15℃
Variedades: Blend

Preço: R$ 79,90
Compre no Vinhosite

Porto Ruby Maynard’s

País: Portugal

Produtor: Barão de Vilar
Tipo: Doce
Estilo: Doce Licoroso
Temperatura ideal: de 10 a 12℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Bolo de chocolate, Bolos doces, Cheesecake com frutas, Gorgonzola, Queijo com marmelada, Queijo Minas Curado, Queijos azuis, Quindim, Frituras empanadas de peixes, Chocolate, Cheesecake.
Preço: R$ 99,90
Compre no Vinhosite

Moscatel de Setúbal

País: Portugal

Produtor: Sivipa
Tipo: Doce
Estilo: Doce Licoroso
Temperatura ideal: 10℃
Variedades: Blend

Preço: R$ 100,71
Compre no Vinhosite

Porto Tawny Maynard’s

País: Portugal

Produtor: Barão de Vilar
Tipo: Doce
Estilo: Doce Licoroso
Temperatura ideal: de 10 a 12℃
Variedades: Blend

Sugestão de Harmonização: Ameixas secas, Bolos doces, Cheesecake com frutas, Frituras empanadas de peixes, Gorgonzola, Queijo com marmelada, Queijo Minas Curado, Queijos azuis, Queijo da Serra da Estrela, Grana Padano, Parmesão, Roquefort, Estrogonofe de Filé, Chocolate amargo, Chocolate, Anchova.
Preço: R$ 105,00
Compre no Vinhosite

One thought on “Vinhos portugueses: conheça a história, suas uvas e regiões

  1. Excelente matéria…
    Parabéns, assim conhecemos e aprendemos um pouquinho mais sobre esta maravilha, que é a arte de degustar e beber um bom vinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *